Cinco da tarde
(José Carlos da Silva)
Vê os seios ansioso.
Ela os tem e se compraz.
Põe a nu um deles
para o ser voraz.
Enquanto suga,
minúscula mão
pousa nele.
Há o outro ainda
para igual deleite.
Seus olhos, contudo,
querem dormir.
Há um sonho
que o faz sorrir.